Um programador na Europa - Inglaterra

Homenagem a Agatha Christie em Londres Homenagem a Agatha Christie em Londres

Passei o mês de janeiro na Europa fazendo um mini-mochilão. Meus países de destinos foram Inglaterra, França e Itália, nessa ordem.

Para entrar na Inglaterra não é necessário visto, porém sua entrada deve ser aprovada na chegada ao aeroporto. Logo no avião me entregaram um "landing card" requisitando algumas informações básicas sobre mim(nacionalidade, número de passaporte, quantos dias iria ficar, ...).

Chegando no aeroporto caminhei até a imigração para "não cidadões europeus". O agente que me atendeu foi super educado e perguntou o motivo da minha visita, onde iria ficar, quando voltava, meu trabalho e quanto de dinheiro trazia.

Entrei na Inglaterra três vezes, e a mais complicada foi no porto de Denver, onde tive que explicar o que fiz no meu período em Londres e mostrar o dinheiro que estava levando. O agente de lá também parecia querer me colocar um pouco de medo, porém entrei sem problemas.

Passei todo o tempo hospedado em hostels e todas as minhas reservas foram feitas pelo http://www.hostelworld.com/. Na Inglaterra fiquei no Austor Victoria. Recomendo o lugar, a equipe é super atenciosa e os quartos e banheiros limpos.

[caption id="attachment_422" align="aligncenter" width="461"]M&Ms world :) M&Ms world :)[/caption]

A vida em Londres é mais cara que nas outras cidades por onde passei, porém foi onde mais fiz compras. Todos os vendedores foram educados e quando eu não entendia algo eles repetiam com outras palavras.

Oxford Circus está cheio de lojas de marcas famosas a preços mais acessíveis que no Brasil. Caso esteja interessado em preços melhores pode ir até a Primark em Oxford Street, mas olhe com cuidado o que comprar. Algumas coisas estão no mesmo preço que no Brasil, mas com qualidade inferior.

[caption id="attachment_423" align="aligncenter" width="614"]É possível achar muitas "nerdices" em Londres. É possível achar muitas "nerdices" em Londres.[/caption]

O coração de Londres é consideravelmente pequeno e não há necessidade de ficar andando de metrô. Como não sabia disso, peguei um season card de 7 dias, durante esse período poderia andar de mêtro o quanto quisesse. Tanto o metrô como a cidade são muito bem sinalizadas e mesmo me perdendo constantemente, sempre conseguia achar o caminho que deveria tomar.

A cozinha londrina é bem fraca, caso queira experimentar algo local vá até algum pub e peça por fish and chips. Se não vá a restaurantes de comida estrangeira.  No meu caso, sempre segui a primeira opção e gastava cerca de 10 libras por refeição. Uma diferença cultural que foi gritante para mim, foi a questão de pagar antes de se comer/beber em pubs, já que no Brasil, geralmente bebemos a vontade e depois pagamos. A mesma coisa acontece nas baladas, você paga na hora a bebida que quer consumir.

Apesar dos nativos beberem a água da torneira, ela não me fez bem e sempre comprava água mineral para beber. As baladas aqui terminam antes do que estamos acostumados, a que fui em Oxford Circus terminou cerca de três da manhã. Como o mêtro fecha as 00:30, as opções para voltar para o hostel foram ônibus ou táxis.

No geral a cidade é bem limpa(apesar de haver poucas lixeiras espalhadas) e as pessoas bem educadas. No horário de pico do mêtro(8~10AM) elas perdem um pouco a paciência.

[caption id="attachment_415" align="aligncenter" width="300"]Por William Shakspeare Por William Shakspeare[/caption]

Em cada bairro da cidade existe um teatro com alguma programação diferente. No teatro de Victoria estava passando Wicked e decidi assistir. Os acentos variam de valor e quanto melhor a vista do palco, mais caro o ingresso fica. Peguei um de 22 libras e me sentei no segundo andar do teatro, foi possível ver todo o palco perfeitamente.

A peça foi magnifíca, com direito a diversos efeitos especiais e com atores com vozes maravilhosas. O músical contava a história escondida por trás do Maravilhoso Mágico de Oz, onde as bruxas eram na verdade do bem, enquanto que o Mágico de Oz tentava manipular todas as pessoas a seu favor.

Os ingleses bebem mais cerveja que nós brasileiros, mesmo no teatro havia um bar servindo cervejas e drinks mais pesados.

[caption id="attachment_421" align="aligncenter" width="461"]Neve <3 Neve <3[/caption]

Além de Londres também visitei Oxford, lar de famosos escritores como C.S. Lewis e Tolkien.  Achei a cidade muito mais bonita por causa da quantidade de prédios históricos. Se for até lá, não deixe de passar no pub The Eagle and Child que era frequentado pelos Inklings.

The Eagle and Child The Eagle and Child