O melhor do Brasil é o brasileiro

O brasileiro quando pensa no preconceito das pessoas do exterior, pensa no preconceito contra mexicano, no preconceito contra mulçumano, no preconceito contra imigrante. Mas dificilmente lembra que quando está no exterior ele é o imigrante, a pessoa de pele mais escura e com religião e costumes estranhos.

O preconceito que sofremos ou que sujeitamos outra pessoa no Brasil jamais poderá se comparar ao preconceito que sofremos no exterior. No Brasil ligamos a índole da pessoa a características físicas ou financeiras. No exterior, muitas vezes, ligam a sua inteligência à terra em que nasceu.

Não existe nada mais humilhante do que começar uma conversa com uma garota num bar e ver ela virar as costas quando as palavras "brasileiro" e "eu" aparecem na frase. Ou o taxista perguntar ser você vai trabalhar num hotel, mesmo tendo falado há poucos segundos antes que era um engenheiro de software. Da dona da sua casa conversar na sua frente com outra pessoa como se você fosse um ignorante e não conseguisse entender que ela está falando coisas horríveis de você.

É ter que ouvir que "você provavelmente entendeu o que te falaram errado por ser brasileiro", mesmo sabendo que a pessoa está realmente voltando atrás com a palavra dela.

Ah, não se engane. Isso não é choro da "classe alta branca", se você é mulher, multiplique por mil tudo o que você já passou no Brasil, porque "brasileiras são fáceis e interesseiras". Se é negro, se prepare para olhadelas muito piores que as da madame no Iguatemi.

Sim, pois no exterior você não só carrega todo o preconceito que carregava no Brasil, mas tem a sobrecarga de ser imigrante "latino". Terceiro mundo.

Pior de tudo? Ouvir o capitão do mato gritar aos sete ventos como brasileiro é lixo e o gringo é maravilhoso.