E o mestrado?

Assim que me formei em 2013 comecei a assistir aulas como aluno especial na Unicamp. Logo estas aulas se tornaram um mestrado. No meio de 2014 - e começo do mestrado oficialmente - resolvi que iria passar um semestre me dedicando somente ao mestrado e que largaria meu trabalho (na época, o trabalho era em uma startup).

Um dos motivos para fazer isso, era que gostaria de sentir como é a vida dessa galera que só estuda e não trabalha ao mesmo tempo. Mas honestamente? Não curti muito.

Acabava não me sentindo muito útil por não estrar produzindo algo fora os estudos/mestrado e o dinheiro encolhendo de minhas economias era mais um agravante.

Por isso, um semestre depois voltei a trabalhar. Apesar de ser bem mais complicado mesclar vida pessoal, trabalho e mestrado a coisa fluiu bem e no meio de 2015 fui para Cardiff, passar um mês lá por conta do mestrado.

Logo após isso, me mudei para Dublin, por causa de uma oferta da Amazon.

E acredito fielmente que tudo isso estava interligado, sem o mestrado não haveria mudança para Dublin, e sem a mudança para Dublin meu mestrado não teria o resultado final que caminha para ter nesse momento (no sentido de como está sendo implementado e etc).

Vi recenemente alguns textos criticando a academia e o fato de se fazer ou não um mestrado. Meu argumento para esses textos é: "tudo vale a pena quando a alma não é pequena".