Dirk Gently's Holistic Detective Agency - Douglas Adams

Depois de ver a primeira temporada do seriado homônio ao livro, finalmente decidi ler Dirk Gently's Holistic Detective Agency (livro #1). Já tinha lido "O Salmão da Dúvida", que fica no meio termo entre um novo livro dO Guia do Mochileiro das Galáxias e um livro do Dirk, mas realmente não sabia muito o que esperar.

Esse não é meu primeiro livro em inglês do Adams, já tinha lido "O Salmão da Dúvida" em inglês, mas a parte realmente escrita pelo Adams neste é minúscula e boa parte do livro é dedicado a pedaços de texto soltos, ao invés de uma grande história. Por esta razão fui pego de surpresa ao modo do Adams de escrever. Não só pelos pulos temporais, mas também pela gráfia. Por ser um autor inglês, eu imaginei que veria a gráfia britânica no livro. Na realidade o autor usa a gráfia norte-americana e britânica no livro, o que torna as coisas um pouquinho confusas para não-nativos.

O livro é definitivamente mais pé-no-chão que O Guia, mas ao mesmo tempo é aquela bagunça onde o universo não tem regras definidas e podemos esperar qualquer coisa. Qualquer coisa.

A história (ao menos boa parte dela), narra as aventuras de um monge elétrico (feito para acreditar em qualquer coisa que o contem), seu cavalo, um CEO de uma empresa de computadores, um engenheiro de software, um professor e um fantasma. Ah, e um alien! Ah e viagens no tempo! Ah e hipnoses!

O livro, praticamente inteiro, é dividido entre esses personagens e com histórias teoricamente difusas. Até que no final tudo se junta e o livro faz total sentido (ou quase isso).

Um ponto importante para quem leu outros livros do Adams antes: em O Guia Do Mochileiro das Galáxias, por exemplo, boa parte do que era descrito entre os grandes acontecimentos somente acrescentavam um pouco de humor, sem muito valor para o plot (e.g. definição de POP -- problema de outra pessoa --), enquanto que neste livro elas afetam diretamente o seu entendimento.

Por conta disso, ao chegar ao final do livro, simplesmente não conseguia entender o pulo que o autor tinha dado para resolver todos os problemas. Eu sabia o que tinha acontecido, mas não sabia o porque fazia sentido. Tive que voltar algumas páginas, dar uma relida, procurar a lista de personagens na internet para então lembrar de certos trechos que achei que seriam baboseiras, mas que explicavam o final de certa maneira.

Uma coisa que pode deixar muito leitor confuso é as referências ao mundo britânico, certos autores e até mesmo a faculdades. Existe muita piada ali que não faz sentido nenhum para nós brasileiros, por não conhecermos certas celebridades. A única "piada" utilizando personalidades reais que consegui entender foi uma referência a Bach....

O livro é de rápida leitura (terminei em pouco mais de uma semana), muito bem escrito e definitivamente uma boa pedida para quem está começando a ler em inglês. Meu único conselho é prestar atenção em todos os acontecimentos e quando ver um nome de personagem que não é bem definido no livro, pesquisar sobre ele, pois provavelmente vai ser uma personalidade real.