Configurando o Sublime Text2 como um "comando" no Fedora

Tenho usado há algum tempo o Sublime Text 2 como minha IDE padrão de desenvolvimento para python, por ele ser leve, bonito e cheio de recursos/plugins.

Como ele é um programa python, basta você descompactar ele e rodar. Porém, isto não é muito legal no gnu/linux, pois na maioria das vezes navego entre as pastas pela linha de comando e por lá, sem exportar o path do Sublime não é possível usa-lo de forma simples como um "vi arquivo" por exemplo.

Para fazer isso, não é dificil :). Basta baixar o editor lá no site e seguir as instruções abaixo:

1 - Descompacte o arquivo. Aqui eu descompactei numa pasta chamada sublime.

2 - Mova a pasta do sublime para* /opt:*

mv sublime /opt/sublime

3 - Crie o atalho para ele em /usr/bin: (no meu ambiente preferi deixar o comando como "subl" ao invés de sublime, caso prefira o segundo é só trocar o nome do arquivo).

vi /usr/bin/subl

4 - Insira no arquivo:

     #!/bin/sh     export SUBLIME_HOME="/opt/sublime"          $SUBLIME_HOME/sublime_text $*          5 - Pronto :)