Brasileiro lê pouco

Existe todo um mito que brasileiro não lê e que os povos estrangeiros lêem constantemente. Eu não acreditava muito nisso, mas dado a quantidade de leitores que conheço aqui em Dublin, vinha confirmando essa teoria.

Outro ponto que confirmava a teoria eram as pequenas livrarias espalhadas pela cidade.

Sempre quando caminhava até o centro ou passava por algum bairro residencial, encontrava diversas livrarias pequenas e amigáveis pelo caminho. Isso sempre me animava e me fazia imaginar que o povo daqui realmente lia bastante, dado que existia praticamente uma livraria em cada bairro -- um supermercado e uma livraria por bairro, demonstra bem a cultura de um povo --. Nos últimos meses, porém, essas caminhadas que culminavam em encontros com livrarias, começaram a se tornar caminhadas onde eu encontrava livrarias fazendo saldão por estarem fechando. Uma aqui, outra ali, todas.

O que me faz questionar se um dia não houve mais leitores por aqui, e talvez até no Brasil, mas a superficialidade do dia-a-dia matou a maioria deles. Ou então não deixou que nascessem novos leitores.

Ou talvez, seja só minha imaginação paranóica, ou não.