Itália, o retorno - A Alemanha dentro da Itália

O último local que visitei na Itália mais se assemelhava a Alemanha do que aos latinos. Visitei as águas termais de Merano (ou Meran). A cidade fica nos alpes italianos. Pelo caminho também parei em outros dois lagos, um de cada lado da montanha.

Merano é famoso pelos spas e por ser residência de muitos cientistas e escritores, entre eles Franz Kafka. A cidade fica no norte da Itália, próxima a divisa com a Áustria.

Por conta da proximidade com a divisa e por motivos históricos (esta parte da Itália já foi da Áustria), boa parte da população fala alemão como língua materna (~50%). Todas as placas são bilíngues e a cozinha começa a se assemelhar a alemã. As pessoas normalmente se identificam como austríacas ao invés de italianas e gostariam de se unir a eles.

Fiquei três dias na região em um hotel três estrelas que ficou no valor aproximado de 300 euros por quarto. As cidades em volta de Merano são minúsculas, normalmente com um pequeno centro em torno da avenida principal (utilizada para subir/descer o alpe). Foi necessário praticamente um dia de viagem para sair de Dueville até Merano.

Visitei as águas termais da cidade. O local era um pouco diferente do que tinha imaginado. Ao invés de piscinas naturais, o spa é recheado com piscinas de diferentes temperaturas. A diária custa uns 19 euros, mas se você quer ter acesso as saunas terá que desembolsar mais.

Caso não tenha interesse ou dinheiro para gastar com as águas termais, ir para a região e passar o dinheiro nas trilhas também é uma opção. Diria até que é o mais natural, dado que no spa não tinham muitos estrangeiros, mas ao redor dos lagos tinham pessoas de todos os continentes.

A entrada nos lagos são gratuítas, mas a maioria dos estacionamentos são pagos (cerca de dois euros).

Merano e seus arredores são muito diferentes do resto da Itália, se você tem poucos dias para ficar no país, provavelmente vai querer se focar em outras cidades. Porém, se pretende uma viagem mais longa com certeza tem que parar nessa região para ver com os próprios olhos essa mistura de culturas. A região é uma ótima pedida tanto no verão quanto no inverno. No inverno sendo possível esquiar. O preço no geral é um pouco mais alto que em outras regiões, provavelmente dado a dificuldade de se trazer alimentos.